Telefonia: Tecnologia GSM conquista o Brasil

Marta Nogueira, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Com apenas dois anos de existência no Brasil, a tecnologia GSM, que trouxe como novidade serviços de banda larga móvel e TV nos celulares, deverá chegar ao fim de 2009 com um total de 175 milhões de usuários, 92% da população brasileira. De acordo com a 3G Americas, associação setorial que representa esta inovação, as operadoras do país irão faturar, juntas, cerca de US$ 3,276 bilhões com estes clientes até o fim do ano. O país está em quarto lugar na América Latina, com a maior receita média gerada pelo serviço.

Antes da tecnologia 3G, os celulares no Brasil ofereciam apenas serviços de voz e mensagens de texto (2G). Hoje, 12% da receita média por usuário é gerada a partir da transmissão de dados contra 88% a partir da comunicação apenas por voz. Na América latina, o país está atrás apenas da Argentina e Venezuela (29%), Equador (24%) e México (21%).

Segundo a 3G Americas, este número só não é maior no Brasil devido à grande quantidade de pessoas que utilizam celulares pré-pagos (de cartão).

Apenas 20% dos telefones móveis são pós-pagos, o restante dos usuários, em sua grande maioria, se limita a comprar créditos somente para falar declarou o Diretor da 3G Americas na América Latina e Caribe, Erasmo Rojas. Mas mesmo assim o Brasil tem um cenário muito interessante, pois está acima da média da América Latina, que tem 9% do faturamento médio com a tecnologia e, além disso, possui um grande potencial de crescimento ao passo em que a população for tendo mais acesso à banda larga móvel.

Ampliação GSM

De acordo com um estudo desenvolvido pela Teleco, empresa de consultoria em telecomunicações, em conjunto com a Huawei, fornecedora de infraestrutura de telecomunicações, a utilização da banda larga por meio da tecnologia 3G chegou a junho de 2009 com um total de dois acessos por 100 mil habitantes, abaixo da média mundial de cinco acessos.

Apesar deste resultado pouco expressivo, a expectativa é de que este serviço seja o de maior crescimento no país. Segundo projeções do estudo, o aumento será de mais de 70% até 2014:

Em agosto de 2009, a banda larga móvel estava disponível para 64% da população brasileira e em 12% dos municípios. Estima-se que em 2014 cerca de 88% da população e 60% dos municípios estejam atendidos informa o estudo. A banda larga móvel deve ultrapassar a fixa no Brasil em 2011, com atraso de três anos em relação à média mundial.

Apostando neste mercado pouco desenvolvido, mas com enorme potencial de crescimento, Rojas acredita que a banda larga móvel será o principal fator responsável por difundir ainda mais a tecnologia GSM no país.

O Brasil é muito iniciante neste setor, mas já apresenta resultados incríveis. O mercado consumidor é realmente muito grande e o país tem muito espaço para expansão declarou.

Outro obstáculo apontado pelo estudo para o desenvolvimento da banda larga móvel é o preço dos telefones celulares 3G, que ainda são muito pouco acessíveis, principalmente no segmento pré-pago. Este preço cai no pós-pago devido ao subsídio das operadoras.

O preço dos celulares apenas com a tecnologia GSM varia de

R$ 50 a R$ 2 mil diz o estudo.