Corretoras apostam em educação para atrair clientes

Gisela Magalhães, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Os brasileiros ganham cada vez mais oportunidades para aprender a investir no mercado de ações. E, assim, podem aplicar seu dinheiro em operações mais lucrativas que a tradicional caderneta de poupança; porém, de maior risco. Para captar novos clientes, corretoras de todo o país passaram a oferecer palestras e cursos que englobam assuntos do nível básico ao avançado. O objetivo é esclarecer e ensinar como investir no mercado de capitais, ainda temido pela maioria da população.

Sócio da corretora AX55 Capital, Ricardo Barbosa disse que as palestras e cursos são a melhor forma de desmistificar o mercado de renda variável. A corretora já recebeu mais de 200 mil alunos desde 2002, quando inaugurou esta prática.

Identificamos este nicho de mercado e oferecemos cursos em 23 cidades brasileiras simultaneamente. Os professores são operadores do pregão que fizeram curso de qualificação e estão aptos para tirar as dúvidas dos alunos explica Barbosa.

As aulas duram em média 10h e os preços variam de R$ 250 a R$ 500, dependendo do curso e da localização. Também está incluída 1h de aula particular na mesa de operações. Já as palestras são gratuitas e duram 50 minutos.

De acordo com o diretor da Ativa Educar, José Leonardo Devecchi, o objetivo dos cursos não é obter lucros, e sim, esclarecer sobre a melhor oportunidade de investimento de acordo com os recursos disponíveis do aluno e, principalmente, identificar seu perfil (conservador, moderado ou agressivo).

Em 2008, cerca de 9 mil pessoas assistiram a palestras e fizeram cursos, e 800 se tornaram nossos clientes. Este ano, já participaram 16 mil pessoas e mais de mil se tornaram nossos clientes completou Devecchi.

A Ágora Educacional também disponibiliza palestras gratuitas e cursos em todo o Brasil. Entre janeiro de 2008 e setembro de 2009, foram oferecidos mais de três palestras gratuitas por dia e aproximadamente 50 cursos com mais de 80 mil inscritos. Após os programas educacionais, 50% se tornaram clientes da corretora.

Esse número só não foi maior porque nossa comunicação é voltada para nossa base de clientes, que representam 50% de nosso público, apesar das inscrições serem abertas ao público em geral disse o gestor da Ágora Educacional, Carlos Eduardo Toledo.

Toledo disse ainda que as aulas são ministradas por professores do Ibmec, FVG e PUC. Para facilitar o acesso do público universitário, são oferecidos descontos para os cursos, além de promover parcerias com instituições de ensino do país.

O Programa de Popularização da BM&FBovespa oferece visitas monitoradas, realização de palestras e cursos gratuitos para diferentes públicos. Até outubro de 2009, mais de 1,5 milhão de pessoas já participaram de algum tipo de ação educativa oferecido pela Bolsa. Os programas tiveram início em 2002, quando o número de participantes do mercado acionário girava em torno de 85 mil.

Atualmente, cerca de 555 mil investidores aplicam seus recursos em ações, sendo que 75,3% são homens e 24,6%, mulheres. A maior parte deles está na faixa etária dos 26 aos 35 anos.

A taxa Selic vem caindo e as ações são vistas como forma alternativa de investimento. A Bolsa é uma opção para quem quer investir a médio e longo prazos. Oferece um retorno maior. Nossa função é apresentar os ativos financeiros para que a pessoa escolha de que maneira quer investir: sozinha ou com o aconselhamento de uma corretora disse o professor de educação financeira da BM&F Bovespa.

O centro de visitação funciona no local do antigo pregão viva-voz e o agendamento deve ser feito previamente pelo site (www.bmfbovespa.com.br). O espaço tem recebido 450 visitantes por dia.