Lobão volta a defender gestão do Estado no pré-sal

SÃO PAULO, 6 de novembro de 2009 - O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, voltou a defender hoje, em seminário na Bahia, a gestão do Estado na produção do pré-sal. Durante a abertura do seminário "O Brasil na Era do Pré-sal", realizado em Salvador, o ministro afirmou que o Brasil começa a viver uma nova independência.

Ao defender o modelo de partilha proposto pelo governo no marco regulatório do pré-sal, o ministro afirmou que não há como se opor a um projeto que fortalece o pacto federativo.

Na avaliação de Edison Lobão, é imprescindível que uma estatal gerencie o pré-sal, pela necessidade de atuação que vai além da mercadológica. Lobão defendeu a Petrobras como operadora dos campos. "É uma das líderes mundiais em exploração em águas ultraprofundas e conhece as bacias sedimentares".

Segundo informações divulgadas pela Petrobras, o ministro também defendeu a capitalização da companhia para a exploração do pré-sal, lembrando que com as reservas das áreas do pós-sal o Brasil tem petróleo para 18 anos de consumo. Com as reservas do pré-sal, esta capacidade aumentará para 40 a 50 anos de consumo. As informações são da Agência Brasil.

(Redação - Agência IN)