Contratos de DI apontam leve queda na BM&FBovespa

SÃO PAULO, 6 de novembro de 2009 - Sem indicadores de inflação na agenda doméstica, o mercado de renda fixa opera de lado nesta sexta-feira. Na BM&FBovespa as projeções de juros embutidas nos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) apontam discreta queda. Há pouco, o DI com vencimento em janeiro de 2011 apontava taxa anual de 10,12%, ante 10,13% do ajuste anterior.

Analistas comentam que a queda na curva de juros futuros mais acentuada nos últimos dias foi decorrente dos dados da indústria brasileira revelando que a atividade cresce a um ritmo não inflacionário que possa pressionar a Selic nos próximos meses. Atualmente, a taxa Selic está em 8,75% ao ano.

No front externo, os dados do mercado de trabalho norte-americano mostraram que a taxa de desemprego na região avançou para 10,2% em outubro de 2009, contra uma taxa de 9,8% no mês anterior. A estimativa dos analistas era de um percentual de 9,9%.

Já a economia dos Estados Unidos cortou 190 mil postos de trabalho em outubro, refletindo a situação do setor de bens de produção (-129 mil) e de construção civil (-62 mil), segmentos que mais cortaram vagas.

A economista-chefe da ICAP Brasil, Inês Filipa, comenta que dado sobre a taxa de desemprego nos Estados Unidos, reverteu o viés de alta do mercado acionário, piorando o cenário econômico americano. "Com o aumento do desemprego a confiança permanecerá fraca, o consumo das famílias seguirá contraído, limitando a recuperação da economia", explica.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)