Prêmios dos DIs seguem sem tendência definida

SÃO PAULO, 5 de novembro de 2009 - O mercado de juros futuros opera sem direção única nesta quinta-feira. Os contratos de Depósito Interfinanceiros (DI) negociados na BM&FBovespa apontam leve queda no curto prazo com os agentes repercutindo novos dados sobre a indústria. Já os vencimentos mais longos sobem acompanhando as perdas registradas nas bolsas de valores do exterior.

Há pouco, o contrato de DI com vencimento em janeiro de 2011 apontava taxa anual de 10,17%, ante 10,22% do ajuste anterior. Janeiro de 2012 projetava juro de 11,57%, contra 11,55% da véspera.

A manutenção do juro básico nos Estados Unidos entre a banda de 0% e 0,25% ontem a tarde não trouxe novidades, com excessão da constatação de melhora na atividade imobiliária. Para um futuro próximo, os membros do Federal Reserve continuam esperando por níveis fracos de crescimento econômico, o que reforça as expectativas de que só haverá mudança na política monetária no fim de 2010.

Na agenda doméstica, os agentes monitoraram dados sobre a indústria. Em setembro, segundo informou hoje a Confederação Nacional da Indústria (CNI), as vendas reais (descontada a inflação) tiveram um crescimento de 1% em setembro em relação a agosto, pelos dados dessazonalizados. Porém, na comparação com setembro de 2008, houve uma queda de 4,7%. No acumulado de janeiro a setembro de 2009, a indústria registra queda de 7,5% nas vendas reais, em relação a igual período do ano passado.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)