Mudança no IPI estimula comércio de linha branca, diz Serasa

SÃO PAULO, 5 de novembro de 2009 - A proximidade do fim do IPI reduzido para os produtos da linha branca (prorrogado até 31 de janeiro de 2010 apenas para os produtos de baixo consumo energético) estimulou o movimento no varejo nacional no mês de outubro. Segundo o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, houve crescimento de 1,3% na atividade varejista do mês passado em comparação com o mês anterior, puxado pelo segmento de Móveis, Eletroeletrônicos e Informática, que avançou 1,1% em outubro contra setembro, dados já ajustados sazonalmente.

Na comparação anual, houve alta de 7,1% em outubro de 2009, maior taxa de crescimento anual desde dezembro de 2008.

Por segmento, o de veículos, Motos e Peças registrou queda mensal de 0,9% em outubro, mas avançou 20,4% na comparação anual. O setor de Móveis, Eletroeletrônicos e Informática avançou 12,2% em outubro de 2009 em relação a igual período de 2008. Por sua vez, o setor de Tecidos, Vestuário, Calçados e Acessórios apontou elevação de 10,6% nesta mesma base de comparação. O destaque de queda, na comparação anual, continua sendo o segmento de Material de Construção, com recuo de 18,2% em outubro de 2009 contra outubro passado.

O mês passado ainda registrou taxas mensais positivas na atividade varejista nos Supermercados, Hipermercados, Alimentos e Bebidas (+0,4%) e no ramo de Tecidos, Vestuário, Calçados e Acessórios (+0,7%). Na ponta negativa encontraram-se os segmentos de Material de Construção (-1,9%), Combustíveis e Lubrificantes (-0,5%) e Veículos, Motos e Peças que, com a volta gradual do IPI, registrou queda de 0,9%, após ter crescido 8,3% em setembro.

Segundo os técnicos da Serasa Experian, o resultado do mês foi atípico por ter sido influenciado pela expectativa da não prorrogação do IPI reduzido para os eletrodomésticos, gerando antecipação na procura por estes itens. Dado que já se encontra em curso um processo gradual de retorno do IPI, não apenas para a linha branca mas também para os veículos e tendo em vista que estímulos monetários adicionais não serão implementados, espera-se que a atividade varejista cresça, ao longo dos próximos meses em ritmo mais moderado do que o observado em outubro de 2009.

No acumulado do ano, o indicador registrou crescimento de 4,7%, liderado pelo setor de Móveis, Eletroeletrônicos e Informática, com alta de 10,3%. Em seguida, destacam-se os setores de Veículos, Motos e Peças (crescimento de 4,4%) e o de Tecidos, Vestuário, Calçados e Acessórios (alta de 4,1%). Os únicos segmentos que apresentaram queda de atividade no acumulado anual foram o de Combustíveis e Lubrificantes (-1,9%) e o de Material de Construção (-14,8%).

(SSB - Agência IN)