Fenabrave vê manutenção do preço de carro, mesmo com IPI cheio

Portal Terra

SÃO PAULO - O preço dos automóveis que terão redução da cobrança do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) até o final do ano deve continuar o igual, mesmo após o fim da isenção. Esta é a opinião do presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Sergio Reze. Para ele, a alta nas vendas e a consequente produção maior faz com que as montadoras absorvam custos e compensem o fim do desconto do IPI.

- Mesmo com a retirada do IPI em sua totalidade, o País deve continuar convivendo com os mesmos preços de antes da crise - disse Reze nesta quarta-feira, ao divulgar uma queda de 5,17% nas vendas de outubro em relação a setembro.

O executivo elgiou a medida de incentivo adotada pelo governo para a indústria automobilística e reviu para cima sua projeção de aumento das vendas este ano.

- O Brasil vive um momento de euforia e está sendo um exemplo de boas medidas anticíclicas - disse Reze, que espera alta de 8% nas vendas de veículos no País em 2009, contra previsão de alta de 4% feita em julho.

As vendas de automóveis e comerciais leves novos no País recuaram 5,17% em outubro na comparação com setembro, para 281.306 unidades. Na comparação com outubro de 2008, houve crescimento de 25,17% nas vendas.