Bradesco tem lucro 5% menor no 3º tri e inadimplência sobe

REUTERS

REUTERS - O Bradesco fechou o terceiro trimestre com lucro líquido de R$ 1,81 bilhão, com queda de 5,2% em relação ao ganho de R$ 1,91 bilhão um ano antes. A performance resultou dos efeitos da crise internacional, que provocaram um crescimento fraco das operações de crédito e novo repique nos índices de inadimplência. A carteira total de financiamentos do banco no fim de setembro era de R$ 215,5 bilhões, um aumento de 10,2% em 12 meses.

A inadimplência, medida pelo total de operações vencidas em prazo superior a 90 dias, atingiu 5% no terceiro trimestre, ante 3,4% um ano antes. Foi a terceira alta trimestral seguida. No entanto, o Bradesco observou tendência de queda nesse item. Por isso, a despesa com provisão para perdas com calotes, que tinha sido de R$ 4,4 bilhões no segundo trimestre, cedeu para R$ 2,9 bilhões entre julho e setembro.

Segundo o Bradesco, isso foi "resultado da retomada gradual da atividade econômica, que beneficia a capacidade de pagamento de nossos clientes". As receitas com serviços no trimestre foram de R$ 2,857 bilhões, crescimento anualizado de 5,9%.

O retorno anualizado sobre patrimônio líquido médio (ROE) do Bradesco, importante índice de rentabilidade de um banco, despencou de 25,4% para 21,8% entre o terceiro trimestre de 2008 e o de 2009. Em 30 de setembro, os ativos totais do Bradesco somavam R$ 485,686 bilhões, ante R$ 422,662 bilhões doze meses antes, um avanço de 14,9%.