PDVSA lança navio no Estaleiro Ilha

Raphael Zarko, Jornal do Brasil

RIO - Com expectativa de geração de 16 mil empregos na indústria naval do estado, a Petróleos da Venezuela (PDVSA) lançou terça-feira o primeiro dos 10 navios construídos no Brasil que serão entregues à estatal venezuelana até 2014, a custo total de cerca de US$ 700 milhões (R$ 1,2 bilhão).

O petroleiro Abreu e Lima tem 182 metros de comprimento e capacidade de transporte de 340 mil barris de produtos claros. A embarcação, que será usada nas operações da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, é a primeira construída no Brasil após a retomada da indústria naval em 2001. Na cerimônia, realizada no Estaleiro Ilha S.A (Eisa), o diretor executivo da PDVSA do Brasil, Sergio Tovar, reforçou as intenções de estender as negociações com o Brasil após a decisão favorável da Comissão de Relações Exteriores do Senado à entrada da Venezuela no Mercosul .

Temos uma estratégia de desenvolvimento a médio e longo prazo. Até 2014 queremos mais que dobrar a nossa frota de petroleiros. Para isso, importamos oito embarcações da Argentina e outras na Espanha e na China. A aliança com o Brasil vai permitir a integração entre essas duas potências de energia. E dentro do Mercosul creio que abriremos uma série de oportunidades para todos disse Tovar, destacando o crescimento em 80% de reservas petrolíferas no país. A PDVSA prevê um investimento aproximado de US$ 130 bilhões no setor energético (prospecção, produção, refino e distribuição), nos próximos cinco anos.

As embarcações venezuelanas não são as únicas encomendas recebidas pelo estaleiro da Ilha do Governador. O diretor Jorge Gonçalves contou que, de cerca de 200 pessoas em 1998, o quadro de funcionários saltou para mais de 3 mil trabalhadores com a demanda recente. Outra empresa que encomendou navios sete ao todo à Eisa, a Log-In, ex-subsidiária da Vale, também investe alto: cerca de R$ 700 milhões.

O presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio (CDEIC) da Câmara, deputado Edmilson Valentim (PCdoB-RJ), lembrou que os investimentos planejados pela PDVSA podem ser ainda maiores, se for levado em conta que na semana passada os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Hugo Chávez assinaram 15 acordos para as áreas de energia e petróleo:

Com a aprovação na comissão do Senado, iremos discutir ainda mais investimentos na produção de petróleo e gás. A tendência é abrir novos horizontes no comércio entre os dois países. Sei que há bastante conversa sobre investimentos no setor disse o deputado, lembrando que o Eisa esteve próximo de quebrar quando o setor naval capengava no país Agora, com o aumento dessa escala, podemos desenvolver nossa tecnologia e com isso diminuir o custo e o preço. Isso é fundamental para atender a demanda que vem por aí, da indústria de petróleo e gás.

Ao mesmo tempo em que reconhece a importância de receber novos investimentos, o deputado fez um alerta para o estado, que, a seu ver, corre risco de perder boa parte dos royalties no pré-sal:

É bom ver o desenvolvimento da indústria naval no Brasil, mas quando vejo que será construído um estaleiro em Alagoas, fico preocupado de perdermos mão de obra. Tenho tido muitos encontros com o Júlio (Bueno, secretário estadual de Desenvolvimento Econômico) para discutir sobre o assunto. Precisamos modernizar nossos estaleiros e garantir matérias-primas a custos competitivos.