Dados sobre pessoal já voltaram ao nível pré-crise

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - A pesquisa Indicadores Industriais de setembro, divulgada terça-feira pela Firjan, revela que a indústria do Estado registrou acomodação após três meses de alta. O indicador de vendas reais, na série com ajuste sazonal, recuou 2,2% frente ao mês anterior. Ainda assim, o resultado das vendas foi o segundo melhor para um mês de setembro de toda a série histórica da pesquisa, iniciada em 2003.

Apesar da tendência de reversão, as comparações com o ano passado ainda permanecem negativas: -14,5% frente a setembro do ano passado e -18,8% com relação ao período de janeiro a setembro de 2008. Frente a agosto desde ano, porém, todas as demais variáveis acompanhadas pela pesquisa registraram crescimento.

O indicador de pessoal ocupado já está bem próximo do patamar registrado no segundo semestre de 2008, época em que se registrou o melhor resultado de toda a série histórica do índice. O crescimento no mês foi de 0,8%, entre agosto e setembro, o quinto consecutivo, mas o saldo do ano ainda está negativo em 1.500 vagas.

As horas trabalhadas tiveram alta de 8,6% em relação ao mês anterior, com muitas horas extras do setor de vestuário, que tem excelentes perspectivas de vendas para o fim do ano. Na série que desconta os efeitos da sazonalidade, a expansão atingiu 11%.

A comparação com o ano passado, no entanto, ainda é negativa: recuo de 1,9% frente ao mesmo mês e de 4,7% na média de janeiro a setembro. A utilização da capacidade acompanhou o desempenho das horas trabalhadas, passando de 80,6% em agosto para 81% em setembro.

A pesquisa apontou elevação de 1,2% da massa salarial de agosto para setembro. O resultado deste mês, comparado com setembro de 2008, foi positivo em 2%. Com isto, pode-se dizer que a variável já retomou o nível de 2008 antes da crise financeira internacional.