Bolsas têm queda superior a 1% na Europa

SÃO PAULO, 3 de novembro de 2009 - Os principais índices acionários da Europa encerraram a terça-feira com queda superior a 1%, repercutindo balanços corporativos que vieram abaixo do esperado e novas capitalizações no sistema financeiro.

O FTSE-100, de Londres, recuou 1,32%, aos 5.037 pontos; o DAX, de Frankfurt, perdeu 1,43%, aos 5.353 pontos; e o CAC-40, de Paris, caiu 1,52%, para 3.584 pontos.

Os investidores acompanharam que o maior banco suíço, o UBS, registrou prejuízo líquido de 564 milhões de francos suíços (US$ 552 milhões) no terceiro trimestre deste ano. O banco havia registrado um resultado negativo de 1,4 bilhão de francos suíços no trimestre precedente.

Por sua vez, a montadora alemã BMW registrou lucro líquido de ? 78 milhões (? 0,12 por ação) entre julho e setembro deste ano, retração de 73,8% na comparação com os mesmos meses de 2008.

Os agentes também repercutem a notícia de que o banco Lloyds, do qual o governo britânico possui 43%, receberá 21 bilhões de libras (US$ 34 bilhões) de capital novo, ao mesmo tempo que a participação estatal no Royal Bank of Scotland (RBS) subirá a 84%, com 75% de direitos de votos.

Além disso, o banco britânico HSBC afirmou que suprimirá mais de 1.700 empregos no Reino Unido. Na véspera, o RBS anunciou o cancelamento de 3.700 empregos em sua rede de agências na Grã-Bretanha.

Quanto aos indicadores, o Índice Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de construção do Reino Unido desacelerou para 46,2 pontos em outubro deste ano.

Mesmo diante desse cenário, a Comissão Europeia espera uma "recuperação gradual" da economia na zona do euro, com uma saída da recessão a partir do terceiro trimestre, seguida de um crescimento de 0,7% em 2010 e de 1,5% em 2011, mas o desemprego e o déficit público seguirão elevados.

(Redação - Agência IN)