IPCA-15 abaixo do esperado estimula queda dos DIs

SÃO PAULO, 23 de outubro de 2009 - A curva de juros futuros volta a sinalizar queda nesta sexta-feira com os investidores repercutindo positivamente o resultado do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15) abaixo do esperado pelos analistas. Na BM&FBovespa o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2011 projetava taxa anual de 10,22%, ante 10,28% do ajuste anterior.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA-15 de outubro desacelerou para 0,18%, contra uma leitura de 0,19% em setembro. Os analistas previam inflação de 0,22%, com mediana em 0,27%.

Analistas comentam que após comunicado idêntico do Comitê de Política Monetária (Copom), o resultado do IPCA-15 reforça a tese de que um aumento da taxa Selic não será necessário no primeiro semestre de 2010.

O comunicado divulgado na quarta-feira após o colegiado do Banco Central (BC) decidir manter os juros inalterados em 8,75% ao ano, veio idêntico ao mês anterior, enfatizando a permanência de um cenário positivo para a inflação.

Esses analistas ressaltam ainda que o aumento dos juros projetados nos Treasuries subiram nesta manhã e isso pode limitar quedas mais bruscas nas taxas de DI.

Os balanços corporativos, de um modo geral, também apontam melhoria e estão garantindo mais uma semana relativamente positiva para os mercados financeiros externos e locais. Enquanto absorviam os balanços, os analistas acompanhavam também o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Ben Bernanke, que disse nesta sexta-feira que são necessárias novas medidas para reforçar o capital dos bancos e indicou que espera repetir de maneira mais ampla os testes de resistência bancária.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)