Diretor da OMC diz não ver progresso nas negociações de Doha

REUTERS

REUTERS - As negociações para abrir o comércio global não apresentaram nenhum progresso real e estão em um ritmo lento demais para atingir o objetivo de chegar a um acordo da Rodada de Doha em 2010, disse na sexta-feira o diretor-geral da Organização Mundial de Comércio (OMC), Pascal Lamy.

Lamy afirmou que as discussões não avançaram o suficiente para que se pudesse alcançar um acordo básico nas negociações de Doha, agora em seu oitavo ano, até o início do ano que vem. Isso seria necessário para se chegar a um acordo geral detalhado em 2010, conforme exigido por líderes políticos.

- Ainda não vimos progresso tangível nas negociações e, no geral, eu diria que a atual velocidade com a qual estamos avançando é lenta demais...para estar em uma posição de fechar essa rodada no ano que vem - disse Lamy em uma reunião dos 153 membros da OMC.

As conversações sobre Doha estão paralisadas devido a diferenças entre exportadores e importadores, e entre países ricos e pobres, em relação ao tamanho dos cortes sobre os subsídios agrícolas e sobre as tarifas industriais e agrícolas.

A reunião de sexta-feira foi convocada para avaliar o progresso após uma semana de reuniões e para discutir os próximas passos.

Os membros da OMC expressaram preocupação sobre a maneira como as discussões estão sendo conduzidas.

Lamy pediu para que os delegados garantam que a próxima semana de reuniões com autoridades, começando em 23 de novembro, levem a negociações reais e não apenas discussões, o que significa que devem ser apresentadas propostas bem preparadas.