Projeções de longo prazo se ajustam para cima na BM&FBovespa

SÃO PAULO, 19 de outubro de 2009 - As projeções de juros embutidas nos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) fecharam com estabilidade no curto prazo com a curva já precificando estabilidade na taxa Selic, nos atuais 8,75% ao ano, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que se reúne amanhã e quarta-feira para definir o rumo da Selic. Por outro lado, as projeções de longo prazo sobem diante das incertezas dos investidores com o processo de transição de comando no Banco Central (BC). O DI com vencimento em janeiro de 2011 apontou taxa anual de 10,45%, ante 10,43% do ajuste anterior. O DI de janeiro de 2012 projetou juro de 11,68%, frente aos 11,59% do último fechamento.

Analistas comentam que esta insegurança em relação as mudanças de comando na equipe do BC é decorrente de especulações que crescem cada vez mais nas mesas de operações, e de que essas mudanças de comando possam fazer com que a taxa Selic suba já no primeiro semestre de 2010.

André Perfeito, economista da Gradual Investimentos, ressalta que os ânimos já devem ser preparados para o aumento da Selic já no começo de 2010. Para o economista a alta da Selic será provocada não pela inflação, mas pela recuperação econômica. "Não acredito que teremos um repique inflacionário o ano que vem, o câmbio deve continuar favorecendo preços mais comportados por aqui e, além disso, os IGP's bem comportados em 2009 tiram pressões típicas de início do ano", friza.

Hoje os agentes financeiros monitoraram o resultado abaixo do esperado do Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe) que apontou variação de 0,09% na segunda quadrissemana de outubro, inferior ao índice da primeira prévia do mês, que foi de 0,12%.

As atenções estiveram voltadas também para o boletim Focus revelando que analistas do mercado financeiro apostam na manutenção da taxa básica de juros (Selic), em 8,75% ao ano, na reunião do Copom desta semana. Entretanto, os analistas aumentaram pela quarta vez seguida a estimativa para a Selic ao final de 2010. A previsão passou de 10,25% ao ano para 10,50% ao ano.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)