Eventos Internacionais no Rio movimentaram 14,92 mi

JB Online

RIO - O Rio de Janeiro foi o destaque na divulgação dos resultados da pesquisa divulgada pela Embratur nesta quinta-feira, dia 15. O estudo, que teve como objetivo a análise sobre o impacto econômico direto e indireto dos gastos de turistas estrangeiros na economia, durante a realização de eventos internacionais, mostrou que o gasto médio diário do turista que visita o Rio de Janeiro para participar de eventos internacionais é de U$ 395,35 bem acima da média nacional, de U$ 285,10. O número é bem superior à média de gastos de turistas que vêm a cidade a negócios (US$ 116,50) e a lazer (US$ 98,10).

Na pesquisa Impacto Econômico dos Eventos Internacionais no Brasil 2007/2008 foram analisados 36 eventos em 14 cidades do País. No Rio, foram 10 eventos de diversos formatos (congressos, fóruns, conferências, simpósios etc.) e tamanhos (150 a 2.300 pessoas), realizados entre outubro de 2007 e novembro de 2008 no Rio de Janeiro. Entre setembro de 2007 e dezembro de 2008 esses turistas movimentaram U$ 14,92 milhões na cidade.

Segundo o estudo, 89,2% dos entrevistados disseram que a imagem da cidade do Rio de Janeiro continuou positiva ou melhorou após a viagem para participar do evento, sendo que 51% afirmaram ter melhorado a imagem. A pesquisa apontou que 66,8% estavam no Brasil pela primeira vez ao participar de um evento internacional na cidade e 72,6% visitavam pela primeira vez o Rio de Janeiro.

Com relação à escolaridade, 95,6% têm curso superior, mestrado, doutorado ou especialização e sobre a idade, a pesquisa mostrou ainda que 25,5% têm entre 25 e 34 anos; 29,8%, entre 35 e 44 anos; e 27,7% entre 45 e 54 anos. Sobre poder aquisitivo dos turistas estrangeiros, a pesquisa apontou que 63,4% têm renda mensal acima US$ 3.000; 9,2% declararam possuir renda entre US$ 1 mil e US$ 2 mil; 13,1% entre US$ 2 mil e US$ 3 mil.

O táxi foi o principal meio de transporte utilizado do aeroporto até o meio de hospedagem (61,8%). O meio de hospedagem mais utilizado foi o hotel (94,4%). Os turistas permaneceram, em média, 6,07 noites na cidade do Rio de Janeiro. A Secretária de Turismo, Esporte e Lazer, Márcia Lins, acredita que a pesquisa sintetizou uma mostra de tudo que tem sido feito nos últimos dois anos. Segundo ela, os dados comprovaram que a cidade oferece tem boa oferta e variedade de serviços, o que justifica o tempo de permanência e o gasto na cidade.

- Essa pesquisa mostra o resultado de um trabalho que vem sendo desenvolvido desde 2007. É um trabalho de todos os níveis de governo, e também da sociedade e dos setores que, de forma direta e ativa, atuam no setor comentou Marcia Lins, completando que a vitória sobre Tóquio, Chicago e Madri, para sediar os jogos Olímpicos de 2016 mostrou que houve organização e disciplina, além da apresentação do melhor projeto. Além disso, temos condições diferenciadas, inclusive as naturais, com características únicas, que só o Rio de Janeiro tem , completou.

Marcia Lins afirmou que a realização, no Rio, de grandes eventos como Copa do Mundo em 2014, Jogos Mundiais Militares em 2011, Olimpíada em 2016, a Soccerex (maior feira de negócios do futebol no mundo que será realizada de 2010 a 2013), entre outros, mostra que o Governo está trabalhando para obter resultados positivos e desenvolvimento econômico para o Estado. Estamos preparando um grande planejamento estratégico com metas e objetivos para que possamos alcançar e potencializar resultados positivos e fazer com que isso mude e dê um salto de qualidade, principalmente no setor do turismo , anunciou a Secretária.

O turismo do interior do Estado também foi lembrado pela Secretária que informou estar marcada para semana que vem uma visita de inspeção de integrantes do Banco de Interamericano de Desenvolvimento (BID). Será a última visita da Missão de Análise do BID. Vamos investir 187 milhões de dólares em 87 projetos que beneficiarão diversos setores, desde infraestrutura do municípios como a estrada Parque Capaleinha-Mauá, até profissionalização e sinalização turísticas nas cidades , explicou. Segundo a secretária o Governo do Estado terá cinco anos para desenvolver os projetos, que estarão prontos em 2016.

Em 2008 o País realizou 254 eventos internacionais, de acordo com os critérios da maior entidade mundial do setor a International Congress and Convention Association (ICCA), e passou a ocupar a 7ª posição no ranking mundial. No cenário nacional, o Rio de Janeiro se destaca: no ano passado foi a segunda cidade do Brasil que mais sediou encontros estrangeiros.