Emprego formal bate recorde em setembro

REUTERS

BRASÍLIA - O emprego formal no Brasil teve o melhor desempenho do ano em setembro, impulsionado pela indústria da transformação, que criou um número recorde de vagas no mês, mostraram dados do Ministério do Trabalho nesta quarta-feira.

A economia abriu 252.617 postos de trabalho com carteira assinada em setembro, no oitavo mês seguido de expansão. No período, foram admitidos um total de 1.491.580 trabalhadores e demitidos 1.238.963, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

No acumulado do ano, o saldo líquido de criação de vagas é de 932.651. O ministro Carlos Lupi previu que o país fechará o ano com a criação total de mais de 1,1 milhão de vagas

- A tendência é que a indústria continue crescendo bem nos próximos dois meses, e o comércio varejista também terá um desempenho positivo por conta do final do ano - afirmou Lupi a jornalistas.

Em setembro, todos os setores da economia criaram vagas formais com exceção do agropecuário, que fechou 17.064 vagas em meio à entressafra no Centro-Oeste.

A indústria da transformação criou 123.318 postos em setembro, o maior saldo desde o início da série do Caged, em 1992. Com isso, o resultado acumulado do setor no ano, que teve um primeiro semestre muito fraco diante da baixa demanda, passou a positivo pela primeira vez, com a criação de 62.759 postos.

Regionalmente, o Nordeste liderou a criação de vagas pela primeira vez no ano, com 100.442 postos. Segundo Lupi, o desempenho refletiu o desempenho positivo sazonal da indústria alimentícia ligada ao setor sucro-alcooleiro.