Xstrata recebe ultimato para decidir sobre oferta pela Anglo

REUTERS

REUTERS - Reguladores deram à Xstrata menos de três semanas para decidir sobre a oferta hostil pela mineradora rival Anglo American, mas analistas consideram pequenas as chances da companhia de obter sucesso no curto prazo.

De acordo com a determinação na sexta-feira de reguladores da Grã-Bretanha, a Xstrata têm que fazer uma oferta formal de aquisição até 20 de outubro ou desistir por seis meses.

Uma combinação das duas empresas criaria o maior produtor do mundo de zinco, platina, carvão para geração de energia e ferro-cromo, e a segunda maior de carvão para siderurgia e cobre.

Analistas acreditam que a Xstrata, com US$ 13,1 bilhões em dívidas, atualmente não tem forças financeiras suficientes para o plano de "fusão de iguais" que apresentou, assim como para oferecer aos acionistas da Anglo o prêmio que eles querem.

- Achamos improvável que a Xstrata optará pelo 'tudo' até 20 de outubro. Eles deixaram claro aos acionistas que apesar de continuarem interessados no acordo, não querem atropelar os termos - disse Michael Rawlinson, da Liberum Capital.

Mas o portfólio de metais da Xstrata significa que seus ganhos devem superar o de sua rival nos próximos meses e melhorar sua situação financeira, disse o analista do ING Nick Hatch.

- Achamos que a Xstrata vai se afastar, mas voltará suas atenções à Anglo American em seis meses... Mercados de commodities melhores devem resultar em um balanço da Xstrata que pode permitir uma melhora de caixa em uma nova proposta de fusão - disse.

A Xstrata tem dito que uma fusão beneficiaria os grupos de acionistas de ambas as empresas, com sinergias estimadas em pelo menos US$ 1 bilhão.