Wal-Mart vê lenta recuperação de negócios nos EUA

REUTERS

REUTERS - O Wal-Mart, maior varejista do mundo, vê a lenta recuperação desafiando as condições dos negócios nos Estados Unidos, enquanto a operação na Ásia "está um pouco melhor", disse nesta sexta-feira o chairman do grupo, Rob Walton.

Walton espera que o Wal-Mart consiga se desvencilhar da anêmica recuperação dos EUA por meio da conquista de novos clientes e com ganho de market share no país, ao mesmo tempo em que os gastos mais sólidos de consumidores na Ásia suportam as atividades nessa região.

- Nossos negócios nos EUA são muito desafiadores neste momento... Algumas das notícias recentes sobre a economia são mais negativas do que se esperava. Nós esperamos apenas uma lenta recuperação nos EUA, nada extremamente rápido - disse Walton em entrevista à Reuters.

Apesar de ver um cenário melhor para a empresa na Ásia, o executivo disse que o Wal-Mart não tem planos imediatos de abrir lojas em mais países da região. O grupo, que tem valor de mercado de US$ 189 bilhões, já disse que abrirá 50 lojas na China.