Órgão defende manutenção de ajudas econômicas

SÃO PAULO, 2 de outubro de 2009 - O diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn, pediu nesta sexta-feira que os governos mantenham seus programas de ajuda econômica até pouco antes do reinício previsto das contratações.

"Para mim, quando estivermos mais ou menos seguros de que o desemprego vai começar a cair, ou seja, dois ou três meses antes da queda previsível do desemprego, podemos começar a reverter a tendência fiscal", declarou Strauss-Kahn.

"Mas ainda não chegou a hora e seria arriscado interromper seus estímulos à demanda", advertiu o diretor geral.

Strauss-Kahn disse que o desemprego continuará aumentando por mais um ano, dando a entender que os programas de reativação econômica devem ser mantidos até o próximo verão. (no Hemisfério Norte)

"Temos de dez a 12 meses de aumento do desemprego pela frente. Portanto, para as pessoas que vão perder emprego nos próximos meses, a crise não terminou", declarou.

(Redação com agências internacionais - Agência IN)