No esporte, serviços sobem preços mais que produtos

SÃO PAULO, 2 de outubro de 2009 - No momento em que o País vive a expectativa da indicação do Rio de Janeiro como cidade sede das Olimpíadas de 2016, levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV) revela que, nos últimos doze meses, produtos e serviços ligados à prática desportiva ficaram, em média, 4,43% mais caros, percentual abaixo da inflação acumulada entre outubro de 2008 e setembro de 2009, que foi de 5,02%.

Segundo o economista André Braz, os ingressos para assistir aos jogos de futebol (15,75%) e as academias de ginástica (7,85%) foram os serviços que superaram a inflação acumulada nos últimos 12 meses até setembro de 2009.

Em compensação, o tênis masculino (-3,42%) e o feminino (-3,08%) para a prática das diversas modalidades tiveram variação abaixo do índice inflacionário. No período, os produtos esportivos que mais subiram foram as bolas de futebol, vôlei e basquete (11,33%).

(MLC - Agência IN)