Ibovespa se descola dos EUA e sobe 1,10%

SÃO PAULO, 2 de outubro de 2009 - A divulgação de indicadores econômicos norte-americanos azedou o humor dos investidores mundo afora. Por aqui, o movimento não foi diferente pela manhã, com a bolsa brasileira chegando operar abaixo dos 60 mil pontos.

No entanto, o principal índice acionário da BM&FBovespa chega a apresentar descolamento do desempenho das bolsas norte-americanas, puxado principalmente pelas ações da Vale. Há pouco, o Ibovespa subia 1,10%, aos 61.121 pontos. O giro financeiro da bolsa estava em R$ 3,66 bilhões.

Um dos indicadores mais aguardados da semana, o payroll, mostrou que a economia norte-americana ainda está fragilizada em meio à crise financeira e que a recuperação econômica não será tão rápida como estimado pelo mercado.

O Departamento de Trabalho dos Estados Unidos informou hoje que a taxa de desemprego na região subiu para 9,8% em setembro de 2009, mostrando ligeira alteração em relação ao mês anterior (9,7%).

Já a economia dos Estados Unidos eliminou 263 mil postos de trabalho em setembro, refletindo a situação dos setores de serviços (-147 mil) e de bens de produção (-116 mil), os segmentos que mais cortaram vagas. Na mesma linha, o setor de construção civil eliminou 64 mil postos de trabalho em setembro, enquanto que o setor manufatureiro reduziu em 51 mil suas vagas.

Os agentes também não gostaram do indicador que avalia as encomendas na indústria norte-americana. Após quatro meses seguidos de alta, os novos pedidos recuaram 0,8% ou US$ 2,8 bilhões durante o mês de agosto.

Por aqui, o desempenho positivo do Ibovespa é puxado pelas ações preferenciais da Vale, que ,há pouco, registravam valorização de 1,90%, vendidas a R$ 36,35.

O comportamento do principal índice acionário brasileiro também é influenciado pelos papéis do setor bancário. Instantes atrás, as ações preferenciais do Itaú Unibanco subiam 0,50%, cotadas a R$ 36,03, enquanto que as preferenciais do Bradesco eram vendidas com alta 1,68%, para R$ 35,60.

Já as ações ordinárias da Embraer se destacam entre as maiores quedas do Ibovespa, apresentando baixa de 1,70%, negociadas a R$ 9,82. A companhia confirmou hoje que, por meio da subsidiária integral Embraer Overseas Limited, fará oferta de US$ 500 milhões de títulos de dívidas. As notas, que serão listadas Bolsa de Valores de Nova Iorque (NYSE), constituirão obrigações sênior.

Ainda no âmbito doméstico, os investidores acompanharam os dados da produção industrial. O indicador teve alta de 1,2% em agosto deste ano, em relação ao mês anterior. Esta foi a oitava apuração positiva consecutiva do índice, acumulando alta de 13,5%.

(Déborah Costa - Agência IN)