Lobão: Petrobras como operadora única é "conveniente"

Agência Brasil

BRASÍLIA - O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, respondeu nesta quarta-feira, às críticas feitas ontem pelo presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP), João Carlos De Luca, sobre a operação exclusiva da Petrobras na exploração do pré-sal.

- Para a nação brasileira, é altamente conveniente - afirmou o ministro.

Em audiência pública na comissão especial que analisa o projeto de partilha do petróleo, o presidente do IBP alegou que não vale a pena para a própria Petrobras ser obrigada a operar todos os poços do pré-sal, já que alguns deles poderiam ser pequenos e não interessar à empresa.

- O que eu posso dizer sobre isso é que perguntem à Petrobras se ela não prefere correr o risco e ser a operadora única. E pergunte às outras empresas se elas não gostariam de ser operadoras únicas também. Todas adorariam - disse o ministro.

Ele afirmou que, atualmente, com o regime de concessão, a Petrobras já opera 85% das extrações petrolíferas do País mesmo sem ser obrigada a isso.

Lobão contou que tem sido procurado por autoridades iranianas para tratar de projetos conjuntos com a empresa brasileira para a exploração de petróleo na África. "Eu recebi a visita de ministros do Irã, do embaixador do Irã, todos convidando a Petrobras para que se associem a eles na exploração de petróleo na África e também no próprio Irã", disse o ministro.

Estima-se que a costa da África seja como um espelho da costa brasileira e que também exista petróleo na camada pré-sal por lá.