Itau Unibanco lança vincula a crédito de carbano

SÃO PAULO, 25 de setembro de 2009 - O Itaú Unibanco lança no próximo dia 28 o primeiro fundo de investimentos brasileiro vinculado a um índice de créditos de carbono. O rendimento do Fundo Itaú Índice de Carbono será baseado no Barclays Capital Global Carbon Index Excess Return Euro (BGCI) - índice mundial que monitora a performance dos créditos de carbono negociados no Emissions Trade Scheme (ETS) da União Européia e no Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL).

O fundo é destinado a investidores com portfólio global de investimentos no banco de no mínimo R$ 300 mil. É um produto de estratégia protegida com prazo de duração de dois anos e taxa de administração de 2% ao ano, sem cobrança de taxa de performance. As operações estruturadas serão iniciadas em 9 de novembro deste ano, e o período de captação compreenderá o período de 28 de setembro a 6 de novembro de 2009.

Segundo o diretor de Gestão de Recursos do Itaú Unibanco, Paulo Corchaki, o fundo mostra que é possível aos bancos atuarem de forma efetiva no estímulo ao desenvolvimento do mercado de créditos de carbono, e consequentemente contribuir para o combate às mudanças climáticas, a partir da expertise do próprio negócio.

Formalizado pelo Protocolo de Kyoto, o MDL permite que nações industrializadas utilizem os créditos de carbono para cumprir as suas metas de redução de emissões, investindo em projetos ambientais em países em desenvolvimento com o objetivo de reduzir as emissões globais de gases do efeito estufa (GEE). De acordo com dados do Banco Mundial, o mercado global de créditos de carbono atingiu em 2008 o total de US$ 126,3 bilhões - o dobro do ano anterior.

"Além de ser uma alternativa de investimento vinculado ao mercado de créditos de carbono, o Fundo Itaú Índice de Carbono oferecerá aos investidores a oportunidade de obter rentabilidade superior à dos investimentos tradicionais de renda fixa", finaliza Corchaki.

(Redação - Agência IN)