IGP-M deve interromper 6 quedas com alta em setembro

REUTERS

SÃO PAULO - O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) deve encerrar em setembro uma sequência de seis meses de deflação, devido a aumentos de custos no atacado, mostrou uma pesquisa da Reuters.

A mediana e a média de 15 projeções apontaram alta de 0,46% para o indicador neste mês, ante queda de 0,36% em agosto. A faixa de prognósticos ficou entre alta de 0,40% e 0,48%.

"Com a retomada de preços agrícolas e industriais no atacado motivada, principal e respectivamente, por itens in natura e combustíveis, o IGP-M de setembro deve apresentar alta", disse Francis Kinder, analista da Rosenberg & Associados.

Recuo dos preços de commodities, baixa do dólar ante o real, menor consumo de alguns bens e incentivos fiscais a vários setores derrubaram fortemente os IGPs neste ano. Analistas esperavam recuperação no fim do primeiro semestre, mas isso não ocorreu - e o mercado começou a trabalhar com um cenário de volta da inflação mensal em setembro.

Segundo a pesquisa, o IGP-M deve seguir esse cronograma.

O IGP-M acumula queda no ano e, apesar da aceleração prevista a partir de setembro, o que já ocorreu até agora deve garantir um dado negativo em 2009, o primeiro da série histórica.

O recorde anual de baixa do IGP-M é de 2005, quando o índice subiu 1,22%.

Segundo a pesquisa, a mediana e a média de 10 estimativas para o ano apontaram queda de 0,4%. As previsões oscilaram de zero a recuo de 0,5%.

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulga o IGP-M de setembro na terça-feira às 8h.