G20 quer reequilibrar a economia mundial

SÃO PAULO, 25 de setembro de 2009 - Os países ricos e emergentes do G20 chegaram a um consenso nesta sexta-feira, em Pittsburgh (EUA), sobre os princípios para "reequilibrar o crescimento" da economia mundial", segundo trechos do projeto de comunicado final.

"Nós nos comprometemos a adotar medidas extras para garantir um crescimento forte, duradouro e equilibrado", indicou o rascunho. Segundo o texto, o Fundo Monetário Internacional (FMI) ficará encarregado de avaliar a coerência das políticas econômicas nacionais em relação a este objetivo comum.

"Pedimos ao FMI que ajude nossos ministros das Finanças e governadores de bancos centrais no processo de avaliação mútua, elaborando uma análise de longo prazo para determinar se as políticas realizadas pelos países do G20 formam um conjunto coerente com trajetórias da economia mundial mais duradouras e mais equilibradas", indicou o grupo.

Ele recomendou "políticas macroeconômicas que incentivem uma demanda mundial adequada e equilibrada". "Concordamos em manter nossas medidas de apoio à atividade econômica até que a retomada seja garantida", afirmou igualmente o G20.

O grupo prometeu adotar um sistema financeiro internacional mais sólido, para reduzir os equilíbrios de desenvolvimento e para modernizar a estrutura de cooperação internacional.

O G20 deve falar em estratégias de saída, através de um processo transparente e crível, para a retirada das medidas de apoio extras, concedidas tanto ao setor financeiro quanto em termos orçamentários e monetários, que serão aplicadas quando a retomada estiver totalmente assegurada.

(Redação com agências internacionais - Agência IN)