G20 cogita propor transferência dos votos no FMI

SÃO PAULO, 25 de setembro de 2009 - A reunião de cúpula do G20 deve propor uma transferência de pelo menos 5% dos votos do Fundo Monetário Internacional (FMI) aos países emergentes, informou uma fonte ligada às discussões em Pittsburgh.

Esta fórmula recebeu o consenso dos especialistas a cargo das discussões e foi submetida aos chefes de Estado e de Governo para inclusão no comunicado final. Os líderes mundiais podem incluí-la desta maneira no texto, deixando os números detalhados para reunião anual do FMI, que acontecerá em outubro em Istambul.

Os grandes emergentes, como Brasil, China e Índia, querem uma nova distribuição dos votos no FMI, que reflita seu peso crescente na economia mundial. Os países desenvolvidos possuem mais da metade das cotas do FMI, e os emergentes dos BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China) exigem receber uma transferência de 7%, em função do peso que suas economias adquiriram nas últimas décadas.

Na divisão atual, países como Bélgica (2,1% dos votos) e Holanda (2,34%) têm um peso maior que Índia (1,89%) e Brasil (1,38%), pouco abaixo da China (3,66%).

(Redação com agências internacinais - Agência IN)