Europa: bolsas renovam mínima em mais de 2 semanas

REUTERS

LONDRES - O principal índice de ações da Europa recuou nesta sexta-feira, atingindo o menor patamar de fechamento em mais de duas semanas pelo segundo dia consecutivo, com a fraqueza do setor financeiro superando ganhos das ações de energia.

O índice FTSEurofirst 300, referência das principais bolsas europeias, caiu 0,18%, para 985 pontos, após oscilar entre 990 e 982 pontos. O indicador acumula baixa de 2,1% na semana.

Os bancos , que saltaram 166,5% desde março, registraram as maiores perdas dentro do FSTEurofirst 300. Credit Suisse, UBS, Lloyds Banking Group, Deutsche Bank, Barclays, Julius Baer e BNP Paribas recuaram de 0,2% a 5,6%.

As encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos caíram inesperadamente em agosto, apresentando o maior declínio em sete meses. Já as vendas de novas moradias no país aumentaram em agosto, porém ficaram abaixo das expectativas. A confiança do consumidor americano no final de setembro, contudo, atingiu o nível mais alto desde janeiro de 2008.

Grandes petrolíferas deram algum suporte ao índice europeu, conforme os preços do petróleo avançaram acima de US$ 66 o barril. BP, BG Group, Royal Dutch Shell e Tullow Oil ganharam de 0,3% a 3,3%.

"A razão mais atraente para comprar ativos é porque as autoridades continuam operando políticas extraordinárias. Estamos caminhando no mundo dos ativos para valorizações provavelmente acima da média no longo prazo", disse Jim Reid, diretor de estratégia de ativos europeus e de crédito global do Deutsche Bank, em Londres.

"Se eles continuarem colocando cada medida, cada estímulo em vigor, não há razão para que os ativos não possam continuar sendo negociados acima da média no longo prazo, especialmente se a rentabilidade dos bônus permanecer muito baixa."

Em Londres, o índice Financial Times fechou em alta de 0,06%, a 5.082 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX cedeu 0,42%, para 5.581 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 caiu 0,51%, para 3.739 pontos.

Em Milão, o índice Ftse/Mib avançou 0,65%, para 23.102 pontos. Em Madri, o índice Ibex-35 recuou 0,45%, para 11.643 pontos. Em Lisboa, o índice PSI20 perdeu 0,18%, para 8.375 pontos.