Após sinalizar avanço taxas fecham sem direção única

SÃO PAULO, 25 de setembro de 2009 - Após sinalizar avanço na abertura dos negócios as projeções de juros futuro fecharam sem direção única. Na BM&FBovespa, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2011 projetou taxa anual de 10,21%, ante 10,19% do ajuste da véspera.

A curva de juros futuros repercutiu pela manhã o Relatório Trimestral de Inflação divulgado pelo Banco Central (BC) em um tom mais conservador. No entanto, a previsão de inflação para este ano ficou praticamente inalterada nos últimos três meses, ao passar de 4,1% para 4,2%. A projeção se mantém abaixo do centro da meta, fixada pela instituição em 4,5% para 2009, 2010 e 2011.

Analistas ressaltam que o relatório de inflação destacou riscos de pressões inflacionárias devido ao aumento da demanda por conta da recuperação da economia depois da crise financeira.

O mercado acompanhou ainda a notícia de que o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, reuniu-se ontem com o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), e "praticamente" definiu sua filiação ao partido, afirmaram três fontes da cúpula peemedebista.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)