OMS se diz "otimista" com possível vacina contra HIV

SÃO PAULO, 24 de setembro de 2009 - A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a ONUSIDA, agência das Nações Unidas dedicada ao combate do HIV, expressaram nesta hoje seu "otimismo" depois do anúncio, em Bangcoc, do desenvolvimento de uma vacina experimental capaz de reduzir em um terço dos casos o risco de contaminação pelo vírus da Aids.

"Ainda falta muito a fazer", alertaram as duas organizações, destacando que falta definir a duração da imunização, se a vacina poderia ser utilizada em outras partes do mundo e se é eficaz com outros subtipos do vírus da imunodeficiência humana (HIV).

A vacina, desenvolvida por pesquisadores americanos e tailandeses, tem "efeito protetor modesto" (31,2% das 16.000 pessoas estudadas na Tailândia), indicaram em comunicado a OMS e a ONUSIDA, acrescentando, no entanto, que os resultados trazem "uma nova esperança".

Vacinas deste tipo, que apresentam "níveis modestos de eficácia", "parecem não ser mais do que instrumentos complementares de outras estratégias destinadas a mudar o comportamento e as normas sociais, como promover a utilização correta do preservativo, o acesso ao material de injeção seguro e a circuncisão", destacam OMS e ONUSIDA.

(Redação com agências internacionais - Agência IN)