Dilma ressuscita "espetáculo do crescimento" para economia

REUTERS

BRASÍLIA - A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, retomou nesta quinta-feira a promessa de um espetáculo do crescimento na economia, que já foi usada como presságio pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para isso, a pré-candidata à sucessao aposta em indicadores econômicos sólidos.

"Eu acho que o programa Minha Casa Minha Vida é uma pré-estreia do que vai ser - como o presidente uma vez disse e foi ironizado: o espetáculo do crescimento", disse a ministra durante discurso na posse da nova diretoria do Secovi, sindicato da habitação.

Ela se referiu ao programa de construção de 1 milhão de moradias lançado pelo governo federal neste ano.

A ministra afirmou que sua previsão não é um "jogo de otimismo", assim como quando o governo estimou que o Brasil seria um dos últimos países a entrar na crise e um dos primeiros a sair, como, segundo ela, se efetivou.

Ela apontou ainda os fundamentos que considera sólidos para a concretização de sua previsão de crescimento da economia, entre eles os US$ 219 bilhões em reservas internacionais, os índices sociais que apontam inclusão e as taxas de recuperação da indústria.

"Todos os indicadores apontam para um crescimento econômico substantivo, como vinha ocorrendo em 2008", afirmou, mencionando a interrupção dessa escalada de alta com a crise financeira internacional a partir de setembro do ano passado.

Dilma informou que realizará exames no hospital Sírio-Libanês na tarde desta quinta-feira relacionados ao câncer linfático que vem combatendo desde março. Ela não assegurou que fará algum anúncio sobre a doença porque ainda deverá se submeter a novos exames na próxima semana.