Câmbio puxa alta de 101% no lucro da Klabin no 2º trimestre

REUTERS

SÃO PAULO - A Klabin, maior produtora de papéis para embalagens do país, registrou lucro líquido de 306 milhões de reais no segundo trimestre, mais que o dobro dos 152 milhões de reais obtidos um ano antes. O resultado foi beneficiado principalmente pelos ganhos financeiros decorrentes da desvalorização do dólar contra o real.

Na comparação com os três primeiros meses do ano, o avanço do lucro é ainda mais expressivo: cerca de 960% ante os R$ 29 milhões do período. Analistas já haviam previsto em relatórios com projeções para os resultados da empresa que o resultado financeiro geraria expansão significativa na última linha do balanço da companhia.

Entre abril e junho, a Klabin apurou receita financeira líquida de R$ 383,8 milhões, ante resultado financeiro positivo de 175,2 milhões um ano antes e despesas financeiras líquidas de R$ 38,236 milhões entre janeiro e março.

Segundo a empresa, esse crescimento no resultado financeiro foi impulsionado pela valorização de 16% do real frente ao dólar, que teve impacto positivo sobre a parcela do endividamento que está expressa em moeda estrangeira -51% da dívida total da companhia.

Na esteira do balanço, as ações da Klabin operavam na contramão do Ibovespa, com ganho de 0,53% às 11h13. No mesmo horário, o principal índice da bolsa paulista perdia 1,51%.

No segundo trimestre, o Ebitda da companhia totalizou R$ 150 milhões, com avanço de 6% em comparação ao mesmo intervalo de 2008. A margem Ebitda da Klabin foi de 22% entre abril e junho, frente a 18% um ano antes.

A receita líquida da empresa no segundo trimestre, incluindo madeira, totalizou R$ 682,7 milhões, uma queda de 12% ante o verificado no mesmo intervalo de 2008. Em relatório, a companhia atribui o recuo ao menor volume vendido.

No trimestre, a Klabin comercializou 351 mil toneladas de produtos, sem incluir madeira, volume 15% abaixo do apurado no mesmo período do ano passado. Essa redução deve-se principalmente à queda das exportações de kraftliner e de cartões revestidos.

A receita líquida no mercado interno foi de 527 milhões de reais nos três meses findos em junho, uma queda de 11% ante o registrado um ano antes. A receita líquida com exportações totalizou R$ 156 milhões, uma baixa de 18% na mesma base de comparação.

O endividamento líquido da empresa, ao final de junho, era de R$ 3,1 bilhões, ante R$ 3,8 bilhões em 31 de março.