Em movimento de ajuste, dólar sobe 0,27%

SÃO PAULO, 10 de agosto de 2009 - O mercado de câmbio seguia com seu ritmo atual, de enfraquecimento do dólar, influenciado pela crença na recuperação da economia mundial. No entanto, há pouco, inverteu tendência, se ajustando aos movimentos recentes. Instantes atrás, a moeda norte-americana subia 0,27%, cotada a R$ 1,825 na compra e R$ 1,827 na venda. A redução da aversão global ao risco e o aumento da liquidez proporcionada pelas autoridades monetárias dos países centrais abrem espaço adicional para a melhora do patamar dos ativos, distorcidos pela crise.

Segundo analistas, dá suporte para avaliações mais otimistas a queda no desemprego nos Estados Unidos e a melhoria de alguns indicadores de demanda no Japão. Entretanto, a recuperação da atividade norte-americana desencadeia discussões sobre a antecipação do aperto monetário, agora precificado para o início de 2010 nos contratos dos Fed Funds.

Os questionamentos sobre o futuro da economia dos EUA e da moeda norte-americana dominam as atenções. Nesta semana, o Federal Reserve (Fed, BC dos EUA) se reúne e deve anunciar na quarta-feira a manutenção dos juros perto de zero, sem ampliar o programa de compra de títulos. Já o tom do comunicado que será divulgado após a decisão pode ser um pouco menos pessimista em relação à atividade no país.

Para a diretora de câmbio da AGK corretora, Miriam Tavares, as oscilações do dólar deve continuar atrelada à percepção de risco. "Os fundamentos só passarão a ser os principais condutores do dólar quando acabarem as incertezas sobre a velocidade da recuperação global e os economistas puderem avaliar quais são os países que estão crescendo mais", observa.

(Simone e Silva Bernardino - Agência IN)