Bolsas europeias recuam puxadas por bancos e energia

REUTERS

LONDRES - As bolsas de valores da Europa operavam em baixa nesta terça-feira, em sessão marcada por volatilidade, com a fraqueza das ações dos setores bancário e de energia ofuscando papéis de farmacêuticas.

Às 8h25 (horário de Brasília), o índice FTSEurofirst 300 exibia queda de 0,26%, a 909,24 pontos, tendo alcançado 918 ponto no início da sessão.

Na segunda-feira, o indicador atingiu o maior patamar de fechamento desde 10 de novembro, acumulando alta de cerca de 41% frente à mínima histórica de 645 pontos verificada no início de março.

- Nós estamos vendo um pouco de realização de lucros, o que não é muito surpreendente após o rali que tivemos nas duas últimas semanas. Eu acho que as pessoas devem permanecer cautelosas...uma vez que tudo o que vimos nas duas últimas semanas está baseado em esperanças de uma recuperação no segundo semestre e de que os lucros crescerão...mas eu acho que o mercado pode se desapontar

- disse Philippe Gijsels, estrategista do Fortis Bank.

Os bancos registravam as maiores perdas dentro do FSTEurofirst 300. Deutsche Bank caía 8,4% após ter elevado suas previsões de perdas com empréstimos no segundo trimestre, minimizando um aumento de quase 70% no lucro líquido graças às operações de banco de investimento.

BNP Paribas, UniCredit e UBS recuavam entre 0,7% e 2,4%.

Papéis do segmento de energia também tinham oscilação negativa. A gigante BP retrocedia 1,5% após ter dito que aumentou em 50% as metas de redução de custos em 2009, para US$ 3 bilhões.

Premier Oil, Dana Petroleum e Total caíam de 0,6% a 1,2%.

As mineradoras apresentavam fraqueza, com Xstrata perdendo 4,4% apesar de ter anunciado sólidos números de produção no primeiro semestre.

Anglo American, Antofagasta, BHP Billiton, Eurasian Natural Resources Corporation e Rio Tinto recuaram entre 0,9% e 3%.