Itaipu binacional: Ministro garante novo acordo sem ônus

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - A Petrobras anunciou nesta segunda-feira que fechou acordo com um consórcio de construtoras para a continuação das obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

Segundo a estatal, foi celebrado um aditivo de prazo de 60 dias com o consórcio CTC (formado pelas construtoras Andrade Gutierrez, Norberto Odebrecht e Queiroz Galvão) para que as obras de terraplanagem sejam retomadas com os cerca de 3.700 trabalhadores envolvidos.

Com esta medida a Petrobras garante a continuidade das obras até que um novo acordo seja firmado na busca de uma solução que atenda os interesses de ambas as partes , disse o comunicado da Petrobras.

A empresa disse também que a paralisação parcial das obras não tinha nenhuma relação com um possível questionamento do Tribunal de Contas da União sobre o valor pago ao consórcio de construtoras .

Investimento mantido

A estatal afirmou que investirá US$ 8,4 bilhões no complexo petroquímico, que deve entrar em operação em 2012 e terá capacidade de processar 150 mil barris de petróleo por dia.

As obras do complexo vão gerar 200 mil empregos diretos e indiretos durante os cinco anos da obra e após a entrada em operação, todos em escala nacional. Para atender a essa demanda, a Petrobras, em parceria com as prefeituras, vai capacitar cerca de 30 mil profissionais da região. O empreendimento vai gerar uma economia para o país de mais de US$ 2 bilhões por ano, por meio da redução da importação de derivados e de produtos petroquímicos.