Déficit em conta corrente já chega a US$ 16 bi

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - O déficit em conta corrente em junho foi de US$ 535 milhões e acumulou US$ 7,074 bilhões no primeiro semestre, segundo os dados divulgados nesta segunda-feira pelo Banco Central. A conta corrente do país registra as compras e vendas de mercadorias e serviços do Brasil com o exterior. Os valores registrados neste ano estão bem menores do que os do mesmo período de 2008. Em junho do ano passado, o déficit em conta corrente foi de US$ 2,781 bilhões e no primeiro semestre de US$ 16,871 bilhões.

O resultado do primeiro semestre é muito bom, com saldos comerciais bons avaliou o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes.

Apesar do déficit em conta corrente ter sido menor em junho na comparação com o mesmo mês do ano passado, o resultado esperado pelo Banco Central era de um saldo zerado. Mas o resultado do mês passado foi influenciado pelo envio de US$ 800 milhões ao exterior como remuneração de recibos de ações brasileiras (em inglês, American Depositary Receipts, ou ADRs) negociadas no exterior. No total, as remessas de lucros e dividendos, enviadas a empresas estrangeiras que investem no Brasil, chegaram a US$ 3,028 bilhões em junho e a US$ 10,859 bilhões no primeiro semestre, valores menores do que os registrados no mesmo período de 2008: US$ 3,396 bilhões e US$ 18,993 bilhões, respectivamente.

No caso de rendas e serviços remessas de lucros e dividendos e pagamentos de juros, viagens internacionais, fretes, seguros etc. que integram as transações correntes, o déficit foi de US$ 5,424 bilhões em junho e de US$ 22,646 bilhões no primeiro semestre do ano, contra US$ 5,829 bilhões e US$ 30,059 bilhões registrados nos mesmos períodos do ano passado, respectivamente.

As transferências unilaterais registros de transferências de bens e serviços, doações recebidas ou enviadas sem contrapartida chegaram a US$ 265 milhões no mês passado e a US$ 1,575 bilhão no primeiro semestre. Em junho de 2008, essas transferências foram de US$ 319 milhões e no primeiro semestre do ano passado em US$ 1,886 bilhão.

Os investimentos em ações negociadas no país ficaram negativos em US$ 65 milhões em junho e fecharam o semestre com um saldo líquido positivo de US$ 3,1 bilhões. Na renda fixa negociada no país, o resultado ficou positivo em US$ 1,7 bilhão em junho e US$ 1,1 bilhão no semestre.