Tesouro e FED divergem sobre proteção a clientes de bancos

REUTERS

NOVA YORK - O secretário do Tesouro americano, Timothy Geithner, e o presidente do banco central dos Estados Unidos (FED), Ben Bernanke, apresentaram nesta sexta-feira ante o Congresso opiniões radicalmente opostas sobre a criação de uma autoridade federal de proteção dos clientes de bancos.

O Tesouro apresentou ao Congresso em junho, como parte das novas regras de regulação do mercado financeiro, um projeto de lei visando a criar uma agência federal voltada para a proteção dos consumidores.

Em depoimento por escrito à comissão de serviços financeiros da Câmara de Representantes, Geithner defendeu esta criação, estimando que "os argumentos a seu favor" eram "claros".

Destacou que alguns atores do sistema financeiro "como corretores do setor imobiliário e de grandes sociedades de empréstimos imobiliários independentes" escapavam atualmente da regulação e poderiam abusar dos consumidores. Bernanke levantou-se contra a criação de uma agência desse tipo.

Segundo ele, "o teor das regras de proteção aos consumidores e o poder de fazê-las aplicar são complementares ao trabalho de supervisão" que cabe, atualmente, ao banco central.

O presidente do Federal Reserve propôs ao Congresso quarta-feira que a proteção dos consumidores figure entre as missões estatutárias do FED, ao lado do pleno emprego e da estabilidade dos preços.