Fundo alerta sobre fragilidade econômica do Reino Unido

SÃO PAULO, 16 de julho de 2009 - O Fundo Monetário Internacional (FMI), que prevê para este ano uma forte recessão da economia britânica antes da volta a um fraco crescimento em 2010, advertiu hoje sobre a persistente fragilidade dos bancos do país e a disparada da dívida pública.

"As perspectivas econômicas para o Reino Unido são muito incertas e apesar de indicadores recentes sugerirem que a atividade econômica começou a se estabilizar, a recuperação será muito lenta e limitada", resumiu o fundo em seu relatório anual sobre a economia britânica.

O FMI confirmou suas previsões sobre o Produto Interno Bruto (PIB) da Grã-Bretanha, de -4,2% para este ano e alta de 0,2% para 2010.

A instituição ainda destacou esperar a manutenção dos altos índices de desemprego, prevendo uma taxa de 9% para o próximo ano. O desemprego atingiu 7,6% nos três meses encerrados em maio, estabelecendo um novo recorde em 12 anos, segundo as estatísticas oficiais.

A organização, dirigida pelo francês Dominique Strauss-Kahn, elogiou os esforços do governo do primeiro-ministro Gordon Brown e do Banco da Inglaterra para relançar a economia e resgatar os estabelecimentos financeiros com dificuldades.

No entanto, ao citar a fragilidade do setor bancário e a alta da dívida pública, pediu que as conta públicas sejam equilibradas assim que a crise for superada.

"As vulnerabilidades subjacentes da economia britânica são relativamente consideráveis", ressaltou Ajai Chopra, chefe da missão do FMI na Grã-Bretanha, ao apresentar o relatório.

(Redação com agências internacionais - Agência IN)