Ibovespa acompanha índices dos EUA e perde 2%

SÃO PAULO, 8 de julho de 2009 - Em um dia com poucos indicadores econômicos na sessão, os mercados acionários mundiais seguem cautelosos a espera da divulgação de balanços corporativos. No Brasil, após abrir em alta, o Ibovespa não resistiu à pressão externa e no final da manhã passou a operar em terreno negativo. Há pouco, o índice acionário da BM&FBovespa perdia 2,02%, aos 48.455 pontos. O giro financeiro da bolsa estava em R$ 2,44 bilhões.

"O clima continua tenso com perspectivas de crescimento fraco e os resultados de empresas", ressaltou a equipe de análise econômica do Banco Fator.

No Ibovespa, o desempenho das commodities afetou o movimento. No caso do petróleo, o preço do barril tipo WTI, negociado na Bolsa de Mercadorias de Nova York (NYMEX, sigla em inglês) opera abaixo dos US$ 62. Com isso, as ações da Petrobras recuam no índice, com as ordinárias perdendo 3,23% e as preferenciais recuando 2,24%.

Ainda referente as ações relacionadas às matérias-primas, os papéis preferenciais da Vale marcavam, há pouco, desvalorização de 0,75%, para R$ 27,54. Enquanto que preferenciais da Usiminas e Gerdau perdiam 0,27% e 2,33%, respectivamente.

No âmbito corporativo, o mercado acompanhou que o Sistema Educacional Brasileiro (SEB) adquiriu por meio de sua controlada 100% do capital social do Pueri Domus Experimental e Pueri Domus Escolas Associadas. O valor total da aquisição foi de R$ 32,9 milhões. Instantes atrás, as units da companhia caíam 2,77%, cotadas a R$ 15,07.

Os investidores também ficaram atentos aos dados de inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Em junho, o indicador teve alta de 0,36%, ficando abaixo da taxa reportada no mês anterior (0,47%). A maior contribuição para a desaceleração do índice partiu do grupo de não alimentícios, que registrou redução na variação em junho (0,26%).

No flanco externo, o Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou para 2,5% a previsão de crescimento mundial para 2010 e afirmou que a economia mundial está começando a sair da recessão. Ainda segundo o órgão, países ricos "não deverão ter uma recuperação significativa da atividade antes do segundo semestre de 2010".

Com a chegada da temporada de balanços, a Pepsi Bottling Group reportou lucro líquido de US$ 211 milhões no segundo trimestre de 2009, com alta de 21% na comparação com o mesmo período do ano passado. Os ganhos por ação avançaram de US$ 0,78, para US$ 0,96. Para hoje, o mercado aguarda a divulgação do resultado da Alcoa.

Os agentes também tomaram conhecimento de alguns dados sobre a economia norte-americana. O número de solicitações de empréstimos hipotecários subiu 10,9% na semana encerrada dia 03 de julho, ante o mesmo período da semana anterior. Já os estoques de petróleo nos Estados Unidos recuaram 2,9 milhões de barris na semana encerrada no dia 03 de julho, para 347,3 milhões de barris. Em relação à mesma semana do ano anterior houve uma expansão de 52,6 milhões de barris nas reservas.

Na Europa, o preço médio dos imóveis residenciais no Reino Unido apresentou baixa de 0,5% em junho deste ano, na comparação com maio, para 157.713 libras esterlinas.

(Déborah Costa - Agência IN)