Greenpeace protesta contra Lula, na França

SÃO PAULO, 7 de julho de 2009 - O Greenpeace fez um protesto, hoje, na França, para cobrar do presidente Luiz Inácio Lula da Silva mais responsabilidade com a proteção da Amazônia e com o combate ao aquecimento global. A urgência de medidas contra as mudanças climáticas foi simbolizada por um globo inflável que os ativistas entregaram ao presidente durante cerimônia na sede da Unesco (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura), onde Lula recebeu o prêmio Paz Félix Houphouët-Boigny. Na faixa estendida no palco estava escrito: Salve o Planeta, Salva a Amazônia.

Depois do protesto, os três ativistas, dois franceses e um brasileiro foram detidos pela polícia francesa.

O desmatamento da Amazônia coloca o Brasil como quarto maior emissor mundial de gases do efeito estufa. "Existe uma enorme distância entre o discurso internacional do presidente e o que o governo brasileiro está realmente fazendo para proteger a floresta", disse João Talocchi, coordenador da campanha de clima. "Está na hora do presidente provar que seu discurso é real e que a proteção da Amazônia é uma prioridade para o governo brasileiro".

Segundo o Greenpeace, para impedir um aquecimento maior que 2ºC na temperatura média da Terra, o que provocaria desastres ambientais irreversíveis, o presidente Lula e os chefes de estado, precisam assumir pessoalmente a responsabilidades pelo acordo climático que será fechado em Copenhague, Dinamarca, no final deste ano, para dar continuidade ao protocolo de Kyoto, que expira em 2012. "O presidente Lula pode colocar o Brasil na liderança das soluções para crise do clima, se comprometendo com o desmatamento zero em 2015 e com a valorização da floresta em pé", disse Talocchi.

(Redação - Agência IN)