Faturamento da indústria cresceu 1,1% em maio

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - O faturamento da indústria cresceu 1,1% em maio deste ano, em relação ao mês anterior. O resultado mostra uma recuperação industrial frente a comparação entre abril e março, quando houve queda de 1,9%. Os dados da pesquisa Indicadores Industriais foram divulgados terça-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

De acordo com os números da CNI, em termos dessazonalizados (descontados efeitos de dias úteis) o desempenho do emprego industrial registrou queda de 0,3% no mês retrasado, apesar de a pesquisa ter mostrado uma leve recuperação no faturamento. No mesmo período, as horas trabalhadas na produção (indicador que mais reflete o nível de atividade da indústria) caíram 0,5%.

No acumulado de janeiro a maio deste ano, o faturamento real caiu 8,2%, na comparação com o mesmo período do ano passado, apesar da leve recuperação destacada no levantamento mensal deste mês de julho, que se refere aos números de maio. O emprego industrial e as horas trabalhadas continuam com índice negativo, com quedas de 2,4% e 8%, respectivamente, nos cinco primeiros meses do ano.

O chefe da Unidade de Política Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco, afirmou que, apesar da leve alta do faturamento de maio em relação a abril, o nível continua bastante reduzido nesses primeiros meses do ano:

Os dados mostram que a intensidade da recuperação da atividade industrial não está definida. Ainda não mostra uma tendência muita clara de recuperação.

Uso da capacidade instalada

O nível de utilização da capacidade instalada da indústria de transformação, ou seja, o quanto as empresas estão utilizando de seu parque fabril, apresentou leve crescimento em maio deste ano, atingindo o patamar, em termos dessazonalizados, de 79,8%, o maior registrado em 2009.

Em abril, o índice era de 79,4%, enquanto em janeiro foi de 77,9%. Na comparação com maio do ano passado, no entanto, houve queda no uso da capacidade instalada. O nível que atualmente é de 79,8% era de 82,4% no mesmo mês de 2008. Para Castelo Branco, os números referentes à capacidade instalada mostram de forma mais consistente a recuperação industrial .

A capacidade instalada não está adequada. O índice está reduzido disse Flávio Castelo Branco.