DIs têm nova queda com IGP-DI baixo e incertezas econômicas

REUTERS

BRASÍLIA - Dados benignos sobre a inflação doméstica e renovadas dúvidas sobre o ritmo de recuperação global levaram as projeções de juros a mais um pregão de queda nesta terça-feira, consolidando as primeiras apostas em um corte da Selic também em setembro.

O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) janeiro de 2011 caiu para 9,79%, ante 9,85% no ajuste da véspera.

O DI janeiro de 2010 recuou para 8,72% ante 8,74% na véspera e o DI janeiro de 2012 declinou para 10,90% ante 10,96% no ajuste anterior.

- Um eventual incremento dos cortes da Selic... vem ganhando força com os indicadores recentes de inflação - disse Sidnei Nehme, diretor-executivo da NGO Corretora.

Divulgado nesta manhã, o Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) caiu 0,32% em junho, ante alta de 0,18% em maio. Analistas ouvidos pela Reuters previam queda de 0,22%.

Na quarta-feira será divulgado o IPCA de junho e a projeção de economistas é de alta de 0,31%, depois da taxa de 0,47% registrada em maio.

Aos dados inflacionários baixos somam-se perspectivas pouco positivas sobre a economia global.

- Temos a continuidade de uma economia externa dando sinais de que vai demorar para pegar (se recuperar) e, com essa demanda externa muito fraca, você tem bastante espaço ocioso internamente, bastante folga antes de ter um problema inflacionário - afirmou Marcelo Portilho, estrategista do CM Capital Markets.

Corte da Selic

Segundo ele, a curva de juro está precificando um corte da Selic de 0,40 ponto percentual na reunião deste mês - o que indica que o mercado está mais inclinado a uma projeção de 0,50 ponto do que de 0,25 ponto de redução.

Para a reunião de setembro do Comitê de Política Monetária (Copom), o mercado está precificando uma queda de 0,07 ponto percentual.

- O mercado começa a ver mais um movimento em setembro - explicou Portilho.

Outra mudança recente na curva refere-se a 2010: segundo o estrategista, até pouco tempo se precificava alta de 0,50 ponto percentual em cada reunião do Copom de 2010 e agora o mercado está colocando no preço 0,30 ponto.

- Mas a gente acha que ainda tem prêmio nisso - acrescentou.