Gripe suína: número de casos no Brasil chega a 905

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - Com 20 novos casos confirmados segunda-feira, o Brasil passa a contabilizar um total de 905 episódios de gripe suína. São Paulo (402), Rio Grande do Sul (111) e Rio de Janeiro (91) são os estados mais atingidos. Segundo o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, o número de registros deve continuar a aumentar, mas há medicação suficiente para atender a todos.

Temos 10 mil tratamentos prontos e 9 milhões estocados, que começarão a ser transformados em medicamentos agora. Temos 64 hospitais e, se necessário, lançaremos mão de mais leitos. A situação é de tranquilidade. A orientação para a população é que não há nenhum motivo para pânico disse.

Temporão afirmou que a vacina contra o vírus da gripe suína não deve ficar pronta para uso em larga escala antes de novembro.

Ela precisa ser produzida e testada em seres humanos para ter sua segurança comprovada, e somente depois poderá ser liberada disse. No Brasil, como o próximo inverno é apenas no ano que vem, iremos avaliar se vamos vacinar todo mundo ou se usaremos outra estratégia. Isso ainda terá de ser discutido com os especialistas.

Exames

Temporão explicou a decisão de só fazer exames de diagnóstico em casos graves da doença ou em pacientes de grupos de risco como em crianças com menos de dois anos, idosos acima de 60 e pessoas com imunidade baixa ou portadoras de doenças como Aids e diabetes.

Na etapa em que estamos, como a maioria dos casos vai cursar sem problema nenhum (segundo o ministro, 99,6% dos pacientes que entram em contato com o vírus se curam espontaneamente), não compensaria o trabalho que teríamos para fazer o exame. Não estamos inventando nada. O Brasil segue todos os protocolos da Organização Mundial da Saúde.

Na avaliação de Temporão, na comparação mundial e com os demais países da América do Sul, o Brasil está em melhor situação . A Argentina tem 2.484 casos e 60 mortes e o Chile, 7.373 e 14 óbitos. Na Argentina, o número de casos pode chegar a 100 mil. A incidência é maior na cidade e na província de Buenos Aires, que concentra 18 milhões de pessoas. Há 48 mortos e 1.870 contágios.

Segundo Temporão, toda estrutura montada pelo governo em 2003 para combater a ameaça da gripe aviária foi adaptada para o cenário atual.

Nós já estávamos nos preparando desde 2003, quando o Brasil se preparava para a gripe aviária, que acabou não acontecendo.

Até 3 de julho, dos 756 casos confirmados no Brasil, 454 (60,1%) foram de pessoas que se infectaram no exterior e 177 (23,4%), de transmissão autóctone (ocorrida dentro do território nacional). Os principais locais de provável infecção dos casos importados foram Argentina (287 casos), EUA (88) e Chile (42).