Bolsas europeias fecham em queda por temores sobre crescimento

REUTERS

FRANKFURT - As bolsas de valores da Europa encerraram em queda pela terceira sessão consecutiva nesta segunda-feira, com preocupações sobre a recuperação da economia global pesando sobre ações dos setores financeiro, de recursos naturais e de petróleo e gás.

Papéis considerados defensivos, contudo, registraram ganhos.

O índice FTSEurofirst 300, referência das principais praças da região, caiu 1,13 por cento, para 833 pontos. O indicador chegou a recuar 2 por cento no início do pregão.

Entre as principais petrolíferas da Europa, a ENI retrocedeu 2,7 por cento, enquanto a BP declinou 2,6 por cento e a Royal Dutch Shell perdeu 2,1 por cento, diante da queda do petróleo.

As ações da mineradora Rio Tinto despencaram 7 por cento e as da siderúrgica ArcelorMittal caíram 4,7 por cento. O índice que monitora o setor de recursos naturais DJ Stoxx recuou 5,4 por cento.

No segmento bancário, Deutsche Bank, UniCredit e Royal Bank of Scotland registraram baixa.

Por outro lado, setores considerados defensivos, como os de cuidados médicos, telecomunicações e alimentos e bebidas, apresentaram valorização.

O grupo farmacêutico Roche ganhou 2,3 por cento, enquanto a Vodafone subiu 1,7 por cento e a British American Tobacco avançou 1,8 por cento.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em baixa de 0,98 por cento, a 4.194 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX recuou 1,2 por cento, para 4.651 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 caiu 1,2 por cento, para 3.082 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib retrocedeu 2,03 por cento, a 18.558 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 declinou 1,43 por cento, para 9.569 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 perdeu 0,98 por cento, a 7.094 pontos.