Setores financeiro e de energia impulsionam bolsas europeias

REUTERS

LONDRES - As bolsas de valores da Europa ampliavam os ganhos nesta segunda-feira, conduzidas pelas ações de companhias dos setores de energia e finanças e por uma projeção mais forte para as economias da zona do euro. Às 8h52 (horário de Brasília), o índice FSTEurofirst 300, referência das principais bolsas europeias, subia 0,93%, para 852 pontos.

O FSTEurofirst 300 avançou cerca de 32% ante a mínima histórica atingida em 9 de março, com os investidores mais confiantes sobre as perspectivas de recuperação. O indicador deve terminar o segundo trimestre em alta de 16%. Mas o rali foi enfraquecido nas últimas sessões por preocupações de alguns analistas de que os sinais de recuperação não são fortes o suficiente para justificá-lo.

"Nas últimas semanas, será uma queda de braço entre alguns dados de ações e indicadores econômicos", afirmou Georgina Taylor, estrategista de ações da Legal & General Investment Management.

- As pessoas focarão para os dados de ações, e os comunicados de projeção de desempenho de empresas. As companhias não disseram muito no começo do ano. Agora estamos buscando confirmação se que os lucros no segundo trimestre serão pressionados- disse.

O principal indicador econômico do grupo de pesquisa Conference Board (LEI) subiu 1,9%, para 95,4 pontos em maio, sugerindo que a economia da zona do euro pode estar se recuperando.

O LEI - que agrega oito outros índices para medir a atividade econômica da região - avançou substancialmente pelo segundo mês consecutivo, informou o grupo em um comunicado nesta segunda-feira.

Companhias do segmento de energia ganhavam terreno, conforme o petróleo subia cerca de 1%, cotado a US$ 69,93 o barril. Total, BP, Royal Dutch Shell, Repsol e StatoilHydro subiam entre 1,2% e 1,6%.

O setor bancário registrava oscilação positiva. Santander, Lloyds, Royal Bank of Scotland e Société Générale ganhavam de 0,9% a 5,5%. Seguradoras também se fortaleciam. As ações do Admiral Group subiam 3%, após o Credit Suisse ter revisado a classificação da companhia de "neutra" para "outperform".