PIB deve avançar 0,8% em 2009, prevê relatório de inflação

SÃO PAULO, 26 de junho de 2009 - O Banco Central revisou hoje para baixo a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, que passou de 1,2%, para 0,8%, segundo dados divulgados há pouco pelo Relatório Trimestral de inflação de junho.

O BC considerou que, apesar dos resultados do PIB referente ao primeiro trimestre de 2009 sugerirem que os efeitos da crise poderão ser menos intensos do que o previsto inicialmente, o desempenho da indústria teve impactos menos favoráveis, o que refletirá diretamente na expansão econômica.

Considerando a ótica da produção, a instituição faz perspectivas menos otimistas para os setores primário e secundário, contrastando com a evolução mais favorável estimada para o setor terciário. A projeção relacionada à produção agropecuária indica que o setor deverá apresentar recuo anual de 0,8%, ante -0,1% no relatório anterior.

A atividade industrial, setor mais atingido pela deterioração das expectativas, deverá recuar 2,2% neste ano, contra elevação de 0,1% prevista no relatório anterior. "Esta reversão traduz a ocorrência de retrações nas projeções relativas ao desempenho de todos os segmentos do setor, à exceção da indústria extrativa, que, impulsionada pela produção de petróleo, deverá crescer 2,9% no ano, ante projeção anterior de 2,4%", justifica o BC no relatório.

Para a construção civil, a estimativa é de recuo de 0,5% neste ano. O relatório anterior previa expansão de 2,7%.

A projeção relativa à variação da produção e distribuição de eletricidade, gás e água foi reduzida de 2,1% para -1,2%. "A reversão decorrente tanto da incorporação do recuo de 4,2% apresentado pelo segmento no primeiro trimestre do ano, quanto da estimativa de intensificação da retração anual da indústria de transformação, responsável por aproximadamente 45% do consumo de energia elétrica", afirma o BC.

Já para o setor de serviços, a estimativa foi revisada para cima, passando de 1,7% no relatório anterior, para 2,1%.

(Carina Urbanin - Agência IN)