Ministro critica substituição tributária

SÃO PAULO, 26 de junho de 2009 - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, criticou hoje em São Paulo, uma alteração na cobrança de tributos que está sendo realizada por alguns estados. De acordo com o ministro, o deslocamento de impostos do varejo para o setor de produção, como está sendo feito no estado de São Paulo, é "inconveniente" neste momento de crise.

"Fazer nesse momento [o deslocamento], exatamente nos produtos que nós desoneramos, é uma contra-medida. Porque você está aumentando a carga tributária para os produtores, de modo que em vez deles repassarem para o preço a totalidade da desoneração, eles passam menos. Porque eles tiveram uma diminuição de tributo federal, mas um aumento do tributo estadual", afirmou Mantega.

O ministro ressalvou que a ação dos estados é correta do ponto de vista técnico. Mas disse que o momento não é apropriado. "Do ponto de vista técnico, a medida é boa, correta, porque ela diminui a sonegação, e o governo federal é o primeiro a combater a sonegação, mas do ponto de vista do momento em que estamos atravessando, que nós temos que desonerar, e não onerar, a medida, ela é inconveniente".

O ministro da Fazenda não quis se pronunciar sobre uma possível prorrogação da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Apenas afirmou que a desoneração seguirá até o próximo dia 15. "Portanto aproveitem e façam as suas compras", disse.

As informações são da Agência Brasil.

(Redação - Agência IN)