"Pior banqueiro do mundo" desiste de R$ 681 mil em pensão

Portal Terra

PORTAL TERRA - O ex-diretor executivo do Royal Bank of Scotland (RBS), Sir Fred Goodwin, anunciou que vai abrir mão de 212,5 mil libras esterlinas (R$ 681 mil) de sua pensão anual, amenizando assim a ira da opinião pública britânica. Goodwin deixou o banco em outubro do ano passado, assim que a empresa foi socorrida com 20 bilhões de libras (R$ 64 bilhões) pelo governo do país para evitar um possível colapso da instituição financeira. As informações são do jornal The Guardian.

A pensão inicial do ex-diretor foi estabelecida em 703 mil libras (R$ 2,25 milhões), mas esse valor foi reduzido a 555 mil libras (R$ 1,78 milhões) em fevereiro. Agora, com o novo recuo de Goodwin, o valor será de 342,5 mil libras (R$ 1,1 milhão) por ano. Logo após sua saída e aposentadoria, ele ainda recebeu 2,7 milhões de libras (R$ 8,6 bilhões) livres de impostos do banco britânico.

Fred Goodwin se defendeu das críticas da população dizendo que o acordo tinha sido firmado com o conselho de administração anterior do RBS. Segundo o Guardian, o valor pago ao ex-diretor do banco foi visto pela opinião pública como uma "recompensa pelo fracasso". Sua casa em Edimburgo chegou a ser atacada pela população em março deste ano.

Desde a saída de Goodwin o RBS demitiu 9 mil funcionários, como uma tentativa de se recompor de perdas de 24,1 bilhões de libras (R$ 77,2 bilhões), registradas em 2008 - as maiores da história corporativa britânica.

Um dos principais erros do ex-diretor, segundo o jornal, foi a insistência na aquisição "desastrada" do banco holandês ABN Amro, que deixou o RBS enfraquecido frente à crise econômica que se seguiu.