União Europeia discute reforma financeira

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - A União Europeia inicia quinta-feira reunião para encontrar soluções para as diferenças pendentes sobre a reforma do sistema de supervisão financeira e imigração.

Os chefes de Estado e de governo do bloco vão indicar o português José Manuel Durão Barroso para um segundo mandato de cinco anos à frente da Comissão Europeia e estabelecer as garantias à Irlanda, para que realize outro plebiscito de ratificação do Tratado de Lisboa. Ao que tudo indica, no entanto, os líderes da UE se limitarão a nomear o novo presidente da Comissão e deixarão a confirmação jurídica da decisão para mais tarde.

Com o apoio de Portugal, República Tcheca, Suécia e Finlândia, Barroso tem buscado nas últimas semanas obter desde já uma confirmação jurídica, com o argumento de que isso reforçará sua posição no atual contexto de crise.

Debate

O principal debate da reunião de será o econômico e financeiro, quando os líderes dos 27 países-membros repassarão a eficácia das medidas tomadas contra a crise e estudarão a necessidade de novas ações.

Nesse contexto, embora os países da UE estejam de acordo sobre a necessidade de estabelecer um novo sistema de supervisão financeira já em 2010, ainda há diferenças sobre o real alcance da reforma e que competências terão as novas instituições de vigilância