Crise afeta 73% das empresas exportadoras, aponta CNI

Portal Terra

SÃO PAULO - Cerca de 73% empresas exportadoras brasileiras foram afetadas pela crise financeira, sendo que o principal impacto é a queda da demanda internacional, citada por 84% daquelas que responderam a Sondagem Especial - Comércio Exterior, realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada nesta quinta-feira.

Outros 7% das empresas que foram afetadas responderam que a escassez e o encarecimento do crédito para as exportações foram os principais problemas.

A desvalorização do real frente ao dólar foi citada por 6% das indústrias que informaram que suas exportações foram afetadas pela crise. A CNI ouviu 1.307 indústrias, de todo o País, entre os dias 1º e 27 de abril. Foram 203 de grande porte, 386 de médio porte e 740 pequenas empresas.

Entre as empresas que tiveram as vendas externas prejudicadas, 60% responderam que pretendem buscar novos mercados para seus produtos como forma de compensar os efeitos negativos da crise.

Nesse mesmo universo, 51% disseram que pretendem reduzir custos e promover ganhos de competitividade.

Outros 19% das indústrias que tiveram suas exportações afetadas informaram que começarão a exportar novos produtos e 18% disseram que investirão mais na qualidade e no design. Além disso, 15% delas disseram que vão reduzir seus preços e/ou margens de lucro.

Para as empresas exportadoras brasileiras, o mercado externo será menos importante neste ano em termos de faturamento bruto. Para 17% delas, a participação das exportações no faturamento da empresa cairá acentuadamente. Para 31% delas, haverá queda e, para 34%, estabilidade. Na outra ponta, 16% informaram que a participação das vendas externas aumentará em relação ao faturamento e 1% informou que aumentará muito.