Comércio de SP gera 2 mil empregos em abril, diz Fecomercio

Portal Terra

SÃO PAULO - O comércio varejista na região metropolitana de São Paulo ganhou 2.111 novos empregos em abril. Em relação a março, o aumento foi de 0,3%, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira pela Fecomercio.

O saldo de emprego (diferença entre admitidos e demitidos) no comércio varejista cresceu 5,6% em comparação a igual mês de 2008. A análise foi realizada pela Fecomercio com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho (Caged).

A taxa de admitidos em abril atingiu 4,4%, o que representa 36.299 novas contratações, enquanto a taxa de demitidos alcançou 4,1%, com 34.188 demissões somente no mês. Com isto, a diferença entre admitidos e demitidos no comércio ficou em 4,3% em abril.

De acordo com a análise, o resultado positivo das vendas no comércio automotivo permitiu elevação no nível de emprego no setor, finalizando abril com um crescimento de 0,3%, representando 310 novas contratações. No trimestre (fevereiro, março e abril), são 270 novos empregos.

Outra atividade que merece destaque são as lojas de eletrodomésticos e eletroeletrônicos, também beneficiadas pela redução do IPI. A contratação em abril foi de 156 novos funcionários, acumulando no ano 498 empregos novos com carteira assinada.

Os salários médios nominais do comércio varejista em abril situaram-se na casa dos R$ 1.286, uma redução de R$ 5 em relação a março. As atividades que registraram os maiores salários continuam sendo lojas de departamentos, concessionárias de veículos e lojas de eletrodomésticos e eletroeletrônicos, com R$ 2.287, R$ 1.758 e R$ 1.745, respectivamente. A menor média salarial se encontra no setor de supermercados (alimentos e bebidas) com R$ 1.086.